Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Wings To Fly

Wings To Fly

08.07.20

A Andorinha...

LP

Era uma vez uma Andorinha que, todas as manhãs, pousava no parapeito da minha janela. Nos primeiros dias não achei estranho. Era, simplesmente uma Andorinha, possivelmente uma diferente todos os dias. No entanto, com o passar do tempo, fui-me apercebendo que não era simplesmente uma Andorinha. Era A Andorinha. E a mesma, todos os dias. 

Eu acordava, saltava da cama e ia a correr abrir a janela e ela já lá estava. Parecia que sabia a que horas o meu despertador tocava. Como forma de saudação matinal fazia-lhe uma carícia e ela não se mexia. Depois, eu seguia com a minha rotina matinal. Quando voltava ao quarto depois de um banho rápido, ela continuava no parapeito da janela, quieta, a olhar para mim. 

97067451.jpg

O tempo foi passando. E, espontaneamente, comecei a falar com ela. A saudá-la com um "bom dia", acompanhado de uma carícia assim que a via. Contáva-lhe os sonhos ou pesadelos que tinha tido durante a noite e desabafava com ela os meus planos e objetivos para o dia, assim como os meus receios e preocupações. Havia dias em que acordava menos positiva e, assim que ela me via, começava a bater as asas, como que a dizer-me para eu arrebitar. E eu sorria! 

Na Andorinha, encontrei um conforto matinal e apercebi-me que acordar calmamente, com pensamentos positivos e com tempo para fazer uma introspeção é meio caminho andado para que o dia corra bem. A Andorinha ajudava-me a ter energia para o dia inteiro e a encarar um novo dia com um sorriso no rosto e com a mente limpa. 

No final da minha rotina matinal, depois de cantarolar umas músicas, despedia-me da Andorinha, com mais uma carícia e desejava-lhe bons voos para o dia. Ela voava do parapeito da janela e eu, em silêncio, ficava a contemplar a sua liberdade e a ansiar o dia seguinte para poder abrir de novo a janela e dizer-lhe "bom dia". 

A Andorinha deixou de aparecer. Mas as aprendizagens que retive graças a ela continuam a fazer parte da minha rotina matinal. Acordo, salto da cama, abro a janela, respiro ar puro, ponho uma música que me inspira e encaro o dia com uma atitude positiva. Porque os pensamentos negativos não nos levam a lado nenhum. As coisas que ambicionamos podem demorar a chegar, mas quando chegarem, vamos entender que todo o caminho percorrido não foi em vão. 

E é nestes pensamentos que recordo a Andorinha e quem me dera poder voar. 

«E então saio de rompante, torno-me mais confiante
Vendo o dia amanhecer
Escolho o meu melhor sorriso, e aceito o improviso
Que o meu dia vai trazer
 
Aproveito ao segundo, tudo aquilo que este mundo
Faz pra me surpreender (faz pra me surpreender)
Levo o dia numa boa, que "pra frente é que é Lisboa!
Sinto-me de bem com a vida, seja o que tiver de ser!»
Os Quatro e Meia, 2016
 
 

Uma boa música para ouvir de manhã!

Abracinhos 🌷

 

2 comentários

Comentar post